Buscar
  • Miriam Zlochevsky Tunchel

Quero ser Nike: o poder de uma marca forte

Atualizado: 19 de Jun de 2018



Não é incomum receber clientes que fazem referência à alguma marca quando solicitam a criação de um logotipo ou produto gráfico, como por exemplo, um catálogo.

Seja pela força da marca gráfica, seja pelos valores que transmitem, já recebi pedidos como: sabe a Ferrari, que todo mundo logo imagina um objeto de desejo? ou ainda: Quero que a minha marca seja lembrada por muitos anos, como a da Coca-Cola...

O que faz uma marca gráfica realmente marcar? Design gráfico está sujeito a modismos?

No processo de elaboração de um logotipo, o designer precisa antes de mais nada ouvir. Pode ser que seja difícil para o cliente definir claramente o que quer, mas ninguém conhece melhor seu negócio do que ele.

Nesta etapa do processo, o designer entra como uma espécie de tradutor-intérprete do cliente. Os olhos e ouvidos se transformam em verdadeiras antenas, captando os mais diferentes sinais. São as palavras, os gestos e as mudança de tom de voz que dão as melhores pistas. Quando o cliente junta as mãos enquanto descreve sua empresa ou produto, pode estar sugerindo que esta marca gráfica deve transmitir união, parceria, coesão... quando empolgado, eleva a voz para falar da agilidade do seu serviço, podemos entender a importância que o seu cliente dá à velocidade com que é atendido.

O designer vai ouvir mais que falar; anotar palavras-chave; memorizar gestos. Mais tarde, quando estiver frente a frente com a tela do computador ou seu lápis e papel, todas estas informações vão ajudar a escolher quais cores, fontes e imagens serão mais representativas.

Não é uma tarefa simples e não são ideias que chegam prontas. Do primeiro rabisco ao logotipo finalizado podemos ter um percurso lento e gradual.

Não vou mentir que nunca tive uma "inspiração divina", mas em 99% das vezes tem muito rascunho até apresentar alguma coisa ao cliente.

Ao final do processo, tanto eu como o cliente queremos que o resultado seja ainda mais impactante do que o planejado. Se o cliente almeja que sua marca gráfica com o tempo até dispense a marca nominativa para ser reconhecida, o designer também adora quando isso acontece, afinal de contas, quem olha a imagem do bumerangue (pelo menos é o que me sugere), nem precisa ler o nome NIKE para identificar a marca! Quem não quer ter a sua marca forte como a Coca-Cola, elegante como sugere a Ferrari e imediata como a Nike?

35 visualizações