Buscar
  • Miriam Zlochevsky Tunchel

Artes Plásticas x Design Gráfico


Não é de hoje que este assunto ronda o mundo criativo. Artistas plásticos ocupam suas posições, designers também e seguimos tentando entender se estes universos são distintos ou não, e se não, onde se encontram.

Na essência, artes plásticas e design gráfico são formas de comunicação. Agora basta entender como cada uma destas formas atinge seu objetivo.

O artista tem um compromisso pessoal. Ele entende (ou pelo menos tenta entender) seus anseios e procura manifestá-los através de suas criações. Usa técnicas variadas, combina cores e materiais, escolhe superfícies e dessa forma manda seu recado.

Ao longo da carreira, o artista traça um rumo e organiza referências sem se comprometer com nenhum interlocutor em especial. A riqueza do trabalho artístico, na minha opinião, aparece na livre interpretação do público, ou seja, cada um “enxerga” a obra como quer. Olha-se com os olhos e com a alma e o efeito que causa é particular. Maravilha, não? Uma única obra e inúmeras leituras!

E o designer gráfico, como atua? Em primeiro lugar, o designer tem um “cliente”, isto é, alguém que lhe pede uma tradução visual para determinada ideia. Pode ser um cartaz, um logotipo, um anúncio, um convite, um catálogo... não importa quem está do outro lado da linha, mas a missão é clara e objetiva.

De modo geral, o designer recebe um briefing onde entende o quê e para quem vai comunicar. Reune conceitos, planeja estratégias, organiza ideias e põe a mão na massa. O resultado final deve atender ao seu interlocutor lá na ponta inicial do processo.

Conceitualmente, poderia resumir que o artista cria para si e o designer para o outro. Claro que o artista se comunica com o outro e claro que o designer busca referências em si próprio, mas ambos partem de pontos diferentes.

Será que em alguma parte do processo, ambos se encontram? Artistas e designers bebem da mesma fonte e transitam um no universo do outro?

Tive oportunidade de elaborar um trabalho de conclusão do curso de pós-graduação em design gráfico onde refleti bastante sobre as várias formas de comunicação e se uma excluía a outra. Aliei à discussão um ingrediente extra: a poesia.

Durante todo curso vi algumas situações onde este debate era recorrente e pensei: por que não investigar melhor o tema?

Resumidamente, escolhi poemas de Paulo Leminski, elegi algumas técnicas de artes plásticas e com conceitos do design gráfico, montei uma pasta de páginas tamanho 29,7 X 42,0 cm onde todas tinham elementos gráficos em comum.

No total foram 12 poemas. As técnicas de artes plásticas foram monotipia e xilogravura, combinadas com colagens e montadas no computador. Os poemas foram impressos em acetato e costurados em cada uma das páginas. O opção por papeis especiais trouxe um toque artesanal ainda que o processo de impressão tenha sido digital. Ao invés de uma encadernação convencional, as 12 páginas foram colocadas em uma pasta feita de cartão rígido e fechada com amarração de barbante.

O resultado foi bastante enriquecedor. Ainda que sejam 3 formas distintas de comunicação, as artes plásticas, o design gráfico e a poesia podem unir forças e produzir peças ímpares. Nenhuma das 3 sobrepôs as outras duas e juntas atingiram seu objetivo básico: comunicar!

70 visualizações1 comentário